Complementando o Post Anterior – Sugestões de Atividades de Estímulo Sensorial

Não vou conseguir aqui sugerir muita coisa, mas se separamos cada um dos sentidos fica fácil pensar em brincadeiras específicas e sempre podemos pesquisar na internet. Para cada sentido podemos pensar em brincadeiras diferentes.

Visão

Tudo que explora o olhar, o foco de atenção, as diferenciações. Procurar coisas perdidas, brincar com a diferença deescurinho escuro,claro (lanternas), imagens com sombras, luzes diferentes, lunetas, canudos para olhar através, selecionar semelhanças e diferenças em figuras ou fotos em revistas e livros (use um quadrado recortado em uma folha para direcionar a atenção para a figura que deseja). Explore as diferenças de imagens de um objeto conforme o ângulo que foto9olhamos (pode fotografar e fazer uma disputa de quem tira as fotos mais diferentes do mesmo brinquedo). Jogo da memória, quebra-cabeças, completar o que falta, etc.

Olfato

Adivinhar o que é pelo cheiro “que cheiro é esse”.., explorar sempre tudo o que for possível, pelo cheiro. Ainda que não faça uma brincadeira específica alie este aspecto a outras brincadeiras e esteja sempre chamando a atenção da criança para os cheiros do mundo. Aumente a sensibilidade (se for hipersensível) para o cheiro desagradável cheiroexpondo a tempos cada vez maiores os narizinhos sensíveis a cheiros como o do vinagre. Evite atribuir juízo de valor aos cheiros, não diga cheiro RUIM, fica mais difícil para eles suportarem, diga: sinta que cheiro desagradável ou que cheiro forte.

Se a criança é daquelas que cheiram tudo, crie com ela regras para o que a gente pode cheirar e o que fica esquisito cheirar. Milena pede para cheirar a gola da roupa de algumas pessoas ou o cabelo… precisei construir com ela estas regras. Histórias sociais ajudam muito!

brincanto_capaAudição

Muito amplo este exercício, podemos também explorar os sons do mundo o tempo todo. Podemos trabalhar a hipersensibilidade expondo a sons desagradáveis por breves segundos e ir aumentando este tempo aos poucos. Por exemplo o secador de cabelos, deixe a criança manipular o aparelho desligado e com seu aviso e preparo ligue bem rápido e desligue. Faça festa, finja susto e transforme em brincadeira. Com o tempo deixe ela ligar e desligar e vá com o tempo brincando de ligar, secar o cabelo da boneca, etc… Pode ser feito liquidificador, aspirador, aparelho de som, etc…

Use música

A música deve ser explorada ao máximo pois agrega muitas possibilidades. Ainda não li o livro, mas há muito acompanho o trabalho de Argemiro Garcia e Mariene (figura ao lado) que usaram a música como apoio para alfabetizar e estimular o Gabriel de todas as formas possíveis. Vale a dica.

Paladar

Explorar sabores. Não é muito fácil, mas você pode fazer isso longe da mesa e desvinculado da hora de comer, por exemplo, no auge de uma brincadeira ofereça um pedacinho de bala azeda. Enfatize que é azedo e ofereça logo algo que ele já conhece e que é doce para que as diferenças sejam estabelecidas. Para aquilo que ele paladarnão gosta de comer (aos que tem intolerância alimentar) use as dicas comportamentais que mandam colocar em um prato muito grande um mínimo do alimento, de forma que a criança veja que é muito pouco o que ela terá que comer. Negocie: você come a metade deste grão de milho, por exemplo, e eu te dou a banana que você adora. Com o tempo o grão de milho inteiro, dois, três e assim por diante.

Tato

Vá devagar, conquiste aos poucos. Lembre-se que muitas pessoas não gostam de toque e se for o caso, você pode tatousar um tecido antes de usar o toque. Massagens são muito importantes, com bucha, com hidratante, com algodão, com a mão suave, com pressão… Manipular diferentes texturas, enfiar a mão na bacia de feijão, arroz, milho, botões, gelatina. Mexer com farinha, com açúcar, misturar açúcar no creme e passar no braço, espuma de sabão, espuma do tipo mousse ou creme de barbear, ou espuma para festas compradas em casas de fantasias, misture texturas nesta espuma, perca objetos na espuma para a criança procurar com o tato.

Propriocepção

Trabalhe movimentos de antecipação onde a criança precise apoiar-se nos braços (difícil explicar). Brinque de segurar as pernas e a criança “andar” com as mãos. Brinque de dar cambalhota no colchão (no chão para ele entender que tem que ter lugar e momento pra isso), pule bastante, jogue bola para ele espalmar (como se ele tivesse que se defender). Enrole edredom e faça pressão, façabalanco sanduíche de almofadas, use muito balanço, rede, bola suíça (aquela de pilates), tenha uma banheira ou então uma piscininha, ou se possível coloque na natação ainda que não seja para aprender a nadar, na água a propriocepção está sendo trabalhada independente da pessoa se tornar um nadador. Use mochilas pesadas (não demais) para caminhar ou subir degraus.

Vestibular

Tudo o que estimula o equilíbrio, a lateralidade, a coordenação motora ampla. Corda, bambolê, túneis, caixas, ficar em um pé só, pular amarelinha, andar no meio-fio ou se equilibrar em tijolos, ou madeiras que você dispõe no chão, percorrer caminhos feitos com barbante, explorar túneis, subir e descer degraus.

Usando a criatividade a gente vai longe. No Facebook gosto da página Elevaterapia e também gosto da página e do blog da Johanna.

johanna

lycraBom, meu objetivo foi apenas exemplificar e ampliar a perspectiva do trabalho sensorial da pessoa com autismo. Quero muito que a ginástica olímpica seja mais acessível e explorada também como possibilidade de apoio ao desenvolvimento da pessoa com Autismo, tomara que os cursos de Educação Física atentem para o Autismo e que os pais e terapeutas saibam da importância do trabalho sensorial.

Beijos!

Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe seu comentário