Já passou…

Um misto de emoções me assaltam quando as pessoas me dizem como é maravilhoso ter uma filha tão bem comportada como Milena…

Bom, é realmente maravilhoso ser mãe desta garotinha e não houve um segundo sequer desde que ela nasceu que eu não tenha reconhecido isso. O que acontece é que houve um caminho percorrido pra chegar até aqui e mais que isso, a estrada à frente pede perseverança e foco… nada vem de graça para ninguém, para alguém com autismo, um transtorno que afeta o comportamento, é ainda mais desafiador conseguir se colocar em um padrão de aceitação e reconhecimento social.

Não vou ficar dizendo para as pessoas que o que temos hoje demandou esforço sobretudo da própria Milena, não digo que ela hoje se controla, se regula, se organiza muito mais do que eu mesma esperava que ela conseguiria. Por isso agradeço os elogios com uma emoção difícil de ser descrita em palavras.

Outro dia mesmo, fui procurar nos arquivos do blog um episódio parecido com o que uma amiga está passando com o filhinho de quatro anos e me deparei com algumas situações que vivemos e que ilustra um pouco do que estou dizendo. Não quero ressuscitar dores e dramas, mas é bem motivador, até mesmo para mim, lembrar que não foi fácil e o quanto é possível superar momentos difíceis.

Separei alguns trechos do ano de 2006 quando a Mi tinha quatro anos, que divido com vocês:

blogtrechoant1

blogtrechoant2

blogtrechoant3

blogtrechoant4

blogtrechoant5

Sim, como eu disse antes, aqui tivemos fases em que a comunicação ausente, fomentava crises, birras, agressões. Nós tivemos fases de não saber qual terapia adotar, de morrer de vontade de poder custear uma terapia intensiva, tivemos momentos de total desorientação e sim, sobrevivemos. Nunca perdemos a crença no enorme potencial da mossa filha, potencial para ser feliz, potencial para não desistir de lutar contra suas dificuldades potencial para conseguir o que ela quer.

Eu? Continuo aqui ainda na mesma luta para identificar onde e como ajuda-la a conseguir, me vigiando para não transferir para ela anseios e desejos meus tentando focar ainda hoje em tudo o que posso fazer.

Cada mãe que me visita tem também esta possibilidade, de chegar ali na frente, no futuro de alguns anos a mais e dizer pra si mesma que conseguiu tudo o que podia e muito mais do que queria para seus filhos. E esse nem é meu desejo, é a minha certeza!

Um super abraço!

Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe seu comentário