Isolamento nunca

Uma coisa que Milena nunca demonstrou foi interesse em ficar sozinha.

Desde bebê, aprendemos a identificar os momentos em que ela se isolava. Olhava atentamente para um ponto onde havia luz, janela, lâmpada, esticava as perninhas e fazia uma estereotipia balançando os bracinhos como se estivesse eufórica. Nestas horas de uma forma bem suave, trazíamos-na “de volta” com alguma atividade que lhe desse prazer. Talvez por isso, desde o início, minha princesinha tenha tido sempre alguém por perto, brincando, conversando, chamando pra vida e assim se acostumou.

Hoje em dia, com a nova mania de assistir aos desenhos animados do discovery kids, ela tem dado um tempinho pra mamãe. Uma novidade que eu tenho acompanhado com admiração, agrado e cuidado. Percebo em alguns momentos que ela não está prestando atenção ao desenho, mas está lá no seu mundinho e se deixar, ela fica ali por horas e isso não é legal, não pra ela. O tempo que ela puder se envolver em algo onde sua atenção esteja focada será muito mais produtivo, e é nisso que temos que investir.

Apesar de tanto progresso, Milena ainda está bem atrás no desenvolvimento esperado para uma garotinha de (quase) cinco anos. Tem potencial, seu desenvolvimento apesar de diferente, é constante, mas não podemos relaxar. Temos que usar sua inteligência e esperteza a seu favor. Em termos de desenvolvimento acadêmico então, ela tem muito o que correr atrás.

Tem muita gente que acha que cada um tem o seu tempo e que devemos respeitar esse ritmo individual, eu acho que devemos considerá-lo, mas estimular sempre o seu aceleramento. Sem pressa, sem neura e com metas realistas e adequadas.

Difícil né?

Educar não é fácil, todos sabemos. Exige planejamento, discussão, participação de todos os envolvidos no universo da criança. Isso vale pra qualquer criança e precisamos, enquanto humanos, aprimorar nossa maneira de educar e só então esperar por uma outra realidade, pelo ser humano muito melhor que virá como fruto desta ação. Muitas concepções terão que ser revistas, como o tempo de televisão e a qualidade do tempo de convivência com os adultos e a mais importante e a melhor forma de educação que existe: a do exemplo.

Beijos a todos!

Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe seu comentário