minhas filhas dançando ballet
4 anos

A intensa experiência do autismo

Tenho recebido muitas visitas. Pessoas que comentam comigo que “frequentam” este espaço para saber notícias de nossa princesa. Pessoas que vivenciam a intensa experiência do Autismo e até profissionais que cuidam ou cuidaram da Milena.

É bom ver que as pessoas se interessam. Saber que algumas vem aqui para aprender algo mais sobre o Autismo, pois não tinham contato com este universo antes. É um novo momento este nosso. Ao mesmo tempo que temos a divulgação instantânea nos mostrando a violência que sempre assolou o nosso mundo, quando ainda temos tantos costumes superficiais, culto ao supérfluo, à aparência, temos também gente que se preocupa com gente. Pessoas que separam parte de seu tempo e atenção para saber mais sobre as dificuldades dos outros e ajudar com palavras, com apoio e partilha.

Você pode estar me achando romântica ou utópica, mas quem vive uma experiência diferente como a que eu e minha família temos vivido se coloca frente a um novo jeito de olhar a vida. Vamos a festas e falamos sobre diferenças, sobre desafios e não mais sobre cabelos e perfumes (isso também, só que menos). Vamos a clínicas e lidamos com crianças e seus pais vivendo situações limite, gente morrendo, gente lutando muito pra ter o que temos e nem valorizamos: movimento, mobilidade.

mulher agradecendo experiência

E assim seguimos ressignificando a vida. Vemos muito mais atitudes de apoio, interesse e ajuda do que gestos de preconceito. E por me sentir tão grata a você que está agora lendo este texto, que me honra com sua visita, por me sentir feliz pelos amigos que faço e fiz aqui no blog, que eu achei que precisava deixar este registro de gratidão por aqui.

Atitude autônoma

Para não perder o hábito, vou falar da Milena. Ontem, mamãe e papai no quarto, chega Dona Milena com uma calça verde e uma camiseta também verde. Detalhe: tudo combinando e igual a cor da roupa da mamãe. Tirou sua roupa e tentou (quase conseguiu) se vestir sozinha. Viu que atitude independente? Foi ao quarto, abriu porta e gavetas, escolheu a roupa…

É minha gente, daqui uns dias não tenho mais criança em casa!!!!

Um grande beijo desta mãe coruja, cada vez mais feliz com os enormes avanços de sua filha.

Post anterior Próximo post

Você também vai gostar

Deixe seu comentário!

avatar
  Subscribe  
Me envie notificações de