controlando a raiva

Controlando a raiva

Novembro começando e o aniversário da Milena chegando. Quatro anos! Vividos com muita intensidade e muito bem aproveitados.

Este aniversário é também um marco, pois é o primeiro ano sem estresse. Antes tínhamos tantas dúvidas e tantas eram as perguntas que ainda não podíamos responder. Agora não. Estudamos, conversamos, aprendemos muito e, principalmente, hoje sabemos qual é o ritmo da nossa filha.

Milena e sua boneca fantoche Keka; De bruxinha; Levando seu avião pra voar.

Trocando experiências via internet e na Associação Mão Amiga eu pude partilhar anseios e angústias. Lendo livros, artigos, reportagens, ouvindo palestras, assistindo a filmes, pude aprender sobre esse “jeito diferente de ser”. Vivendo o dia a dia da minha pequena eu aprendi a conhecê-la e fazer a ponte entre ela e o mundo.

Milena, eu desde o início achei que na relação mãe e filha o meu papel seria mostrar o mundo a você. No entanto, foi você pequenina quem me mostrou um mundo novo, diferente e único. Obrigada por enriquecer a minha vida.

Para descarregar a raiva

A conquista desta semana que quero partilhar neste cantinho: a nossa psiquiatra disse para ensinarmos Milena a lidar com a raiva e, ao invés de bater nas outras pessoas ou nela mesma, nos momentos de birra devíamos dar opções para descarregar a raiva. Então, na escola a professora dá um lápis e um papel e ela desenha, aqui dou uma almofada e ela bate, joga, enfim, acaba virando uma brincadeira. Agora a bonitinha fala na hora do piti: “váva”. Eu pergunto: “Milena ta com raiva?”. E ela: “ta”.

menina desenhando

Então eu pego a almofada ou ela pede “pepél” pra desenhar e logo a váva passa.

Tá certo que os momentos acontecem porque ela quer ficar horas fazendo uma coisa só, principalmente assistindo aos velhos e bons vídeos da escola no computador. Depois de descarregar a raiva ela volta a insistir em fazer o que quer, mas tem sido muito mais fácil contornar a situação. E o melhor: ela identifica seu estado emocional.

E vamos em frente…. Progredindo mais e mais. Beijos em todos os nossos amigos, assíduos ou não, “antigos” ou não. Obrigada pela visita.

Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe seu comentário